Desenvolver o próprio Aplicativo Mobile é o sonho de muitas empresas e empreendedores. Mas muitas vezes esse sonho é destruído quando cotar e entender que o custo para o desenvolvimento para iOS (iPhone/iPad) e Android pode ser enorme e fora do orçamento disponível.

É um problema comum e muitas ideias morrem por causa disso. Mas isso não é necessários porque existem vários jeitos de economizar bastante na hora de desenvolver seu próprio App. Aqui juntei 5 dicas que vão baixar o custo.

1. Um App só par iOS e Android

Para fazer sucesso, um aplicativo hoje em dia tem que funcionar no iOS (Apple) e Android. Logo tem que ser desenvolvido dois aplicativos porque os dois sistemas operacionais usam linguagens diferentes. O aplicativo para iOS tem que ser escrito em Swift e o do Android em Java. É um trabalho duplicado e vai dobrar seus custos. Além disso você vai ter dois aplicativos para manter, então com cada atualização que deseja implementar os custos serão em dobro.

Mas isso não é necessário. Hoje existem tecnologias que permitem o desenvolvimento de somente uma versão do seu aplicativo para todos os aparelhos. Essas tecnologias são chamadas de Cross PlatformOs aplicativos feitos com essas tecnologias funcionam em iOS, Android e Microsoft, tem o mesmo layout das versões feitas exclusivamente para um sistema operacional e podem acessar todas as funcionalidades nativas como GPS e notificações.

Essa dica vai cortar seu investimento por metade. E a manutenção também vai ficar mais barato pois terá que manter somente um aplicativo. Essa dica funciona para a maioria dos casos que já trabalhei. O único ponto fraco de desenvolver Cross Platform são aplicativos como jogos que focam muito em animações e 3D.

2. Comece com uma versão básica (MVP) do seu aplicativo

Quando a ideia do aplicativo madurece na sua cabeça e no papel é muito fácil de se perder nos detalhes. É muito comum que recebo uma lista enorme de funcionalidades que o cliente deseja e para desenvolver tudo demoraria meses e custaria bem mais do que deveria. E depois, quando o aplicativo é lançado para os usuários? O cliente percebe que os usuários nem usam todas as funcionalidades ou precisam de outras funcionalidades que não fizeram parte do escopo inicial. O resultado disso é que o cliente gastou tempo e dinheiro para um sistema que não satisfaz completamente as demandas dos usuários. O que o usuário precisa e quais funcionalidades ele não quer usar a gente somente aprende com o tempo.

Por isso é recomendado seguir um conceito chamado de MVP (Minimum Viable Product). Se trata de uma versão do aplicativo bem básica que já possui todas as funcionalidades essenciais mas nada além disso. Crie uma lista com todas as funcionalidades que você tem na sua cabeça e depois dá prioridades de 1 a 3 para cada item. 1 significa que o sistema não tem como funcionar sem e 3 significa que seria legal ter mas também funciona sem. No desenvolvimento você vai focar só nos itens com prioridade 1. Assim você vai conseguir a primeira versão do seu aplicativo muito mais rápido e com bem menos de investimento.

Uma vez no ar você receberá Feedback dos seus usuários. Eles vão usar seu sistema de enviar as demandas que surgem. Você vai avaliar as ideias e, caso que tem uma alta demanda, implementar uma depois da outra.

3. Use Backend e banco de dados já existente

Essa dica é um pouco mais técnico mas mesmo assim importante. A maioria dos aplicativos precisa de um banco de dados, por exemplo com os dados dos usuários. Esses dados serão salvos online (na nuvem) para que o aplicativo poderá acessar e usar esses dados. O banco de dados e a forma de acesso a esses dados é chamado de Web Service ou API e tem que ser desenvolvido que gera mais um custo.

Mas não sempre é necessário desenvolver essa parte porque existem serviços online que já fornecem tudo que precisa. O próprio Google oferece um serviço desse, chamado de Firebase. Um serviço grátis para pequenas aplicações e com preços baixas para aplicações maiores. Usando um serviço desse você vai economizar bastante no desenvolvimento. Vale sempre a pensa conferir a possibilidade.

4. Trabalhe com agencias que entendem seu negócio

Nada é pior do que trabalhar com uma agência ou desenvolvedor que não entende seu negócio e produto. Igual um bom vendedor, um bom desenvolvedor escuta você antes de falar. Isso é tão importante porque um desenvolvedor tem que pensar junto com você e dar ideias da parte técnica. As vezes algum dos itens na sua lista de funcionalidades não faz sentido na parte técnica ou pode ser desenvolvido de forma mais eficiente. Um desenvolvedor que não escuta vai seguir exatamente sua lista sem pensar e acaba gastando mais tempo (e com isso dinheiro) por causa de mal entendimentos e trabalho repetido.

5. Você realmente precisa de um App Mobile?

Sim, é muito legal ter o próprio App nas lojas do Apple e Google. Mas é sempre necessário? Com tecnologias como HTML5, JavaScript e outros as vezes um site responsivo é tudo que precisa. Um site responsivo é um site que é acessado pelo navegador do celular mas que é 100% otimizado para ficar bonito nas telas menores. Então a experiência do usuário é como se fosse um aplicativo de verdade com menu, botões etc. iguais. A vantagem disso é que até usuários em computadores normais podem acessar seu sistema e o custo pode acabar sendo bem menor. Essa solução só não funciona se você depende das funções nativas do celular como GPS ou notificações.